Quem sou eu

Minha foto

Pra não dizer que não falei das flores, vamos falar de Scrap.

sexta-feira, 16 de março de 2012

DICAS PARA INICIANTES OU NÃO

Olá pessoal mais uma quinzena que voa não é mesmo.
Hoje vamos ter uma dica rápida e para reflexão, proveniente das reflexões deNathalie Kalbach e Julie Fei Fan Balzer. E também uma novidade, textos sobre educação de filhos. Não eu não sou uma especialista e desafio qualquer um a dizer que REALMENTE é.....sempre vamos ouvir de nossos filhos que eles o farão diferente com os filhos deles...rs.
Os textos são de um psicopedagogo, meu marido e estão disponíveis aqui. Para aqueles que querem ser melhor educadores o texto é curto, simples  e bem estruturado, vale a pena ler.

Quando será que percebemos que estamos em nossa completa zona de conforto?

Quando evitamos fazer o que não gostamos ou que achamos que não fazemos bem? Quando não nos arriscamos em novos estilos? Quando não insistimos em algo que fizemos e não consideramos que ficou bom, não tentamos refazê-lo ou corrigi-lo?
Bom tudo isso e ainda mais quando fazemos sempre as mesmas coisas com a mesma cara.
Como sabem eu ainda não encontrei um estilo definido e estou em sua busca, então por enquanto brinco com tudo que tenho vontade.
E me obrigo a fazer que não gosto ou que não me empolgam.
Tudo bem eu não sou uma artista, nem de longe chego ao nível delas, mas as angústias, medos e anseios são os mesmo. Sendo assim decidi abraçar o desafio : Take it to the second floor.

2 comentários:

Elisabeth Sarkis disse...

Pois é, a vida é cheia de desafios e mesmo não gostando, temos que experimentar para poder saber se é bom ou não para nós,eu gosto de tantas coisas ao mesmo tempo que fico sem uma definição de estilo, nem quero me preocupar com isso, quero fazer, curtir, gostar e me satisfazer com o resultado, só isso!!!Bjs flor

Paula Flávia disse...

Pois é eu também sou assim, como você, gosto de muitas coisas e quero é mais me divertir fazendo, mesmo que o resultado final não seja o melhor, sempre mudo pra ficar mais com minha "cara", mas acho que todo mundo tem essa fase pessoal de busca de estilo, ou busca de identidade né Beth?